O meu novo colar // My new necklace

(scroll down for english version)

show-me-pretty-handmade-statement-necklace

Numa pausa entre a arrumação dos tecidos e a arrumação das lãs (tenho tudo espalhado por todo o lado e, como já partilhei convosco, umas das minhas grandes resoluções para este ano é organizar-me), fiz um colar. Olhem só que bem que fica sobre a Golden Gate bridge.

show-me-prettty-statement-necklace-handmade

(PS – Ando meio esquizofrénica com esta coisa de escrever ou não escrever também em inglês, o que na realidade representa uma batalha entre o que gostaria mesmo de fazer e o que consigo/tenho tempo para fazer. Oh well, eventualmente hei-de chegar a uma conclusão definitiva. Ou não.)

While on a break between organizing the fabrics and the wool that I currently have all over the apartment, I’ve made this necklace. Doesn’t it look great standing there, above the Golden Gate bridge?

(I’ve been going back and forth on the question “to write or not to write both in portuguese and in english” for awhile. The truth is that i really want to do it but i’m afraid i can’t/won’t have the time and end up posting nothing at all. It happened in the past, and that’s the reason why i stopped writing in english. Eventually, I’ll end up making (and sticking to) a decision. Or maybe not.)

 

{ DIY | Acessórios } Como fazer uma clutch a partir de um individual

Numa das minhas inúmeras visitas aos senhores suecos (de quem gosto muito, como toda a gente sabe) que têm casa ali para os lados de Alfragide e de Loures (IKEA, para os mais distraídos) trouxe comigo um destes individuais. Não que estivesse a precisar de renovar o stock de têxteis de cozinha cá de casa mas porque me pareceu ter potencial para ser transformado em qualquer-coisa.

Andou por aqui uma série de tempo (não quero exagerar mas desconfio que o comprei há cerca de 2 anos), foi passando de gaveta em gaveta, de armário em armário e de cada vez que olhava para ele pensava ‘Não, ainda não é desta, amigo!’ e lá continuava ele, sozinho, encostado ao fundo de uma qualquer prateleira. Até ao dia em que, enquanto tentava meter alguma ordem à gaveta onde guardo uma série de acessórios, descobri um cinto de qualidade duvidável (daqueles que vêm às vezes com calças/vestidos, estão a ver o género?) e quando estava quase a metê-lo no lixo lembrei-me do pobre do individual. E foi assim que nasceu uma clutch.

Esta clutch. Que não só tem uma cor completamente actual (e uma das minhas favoritas) como tem a vantagem (atendendo ao dilúvio que cai lá fora) de ser impermeável. Vamos ao how to? Vamos a isto!

Dobrar aquilo que será a base (1) e a aba (2) da clutch, para efeitos de marcação, e prender com a ajuda de molas. Colocar o cinto no local onde deverá ser colado (3), envolvendo todo o individual. Prender o cinto, para não sair do sitio (4). Desdobrar o individual (5) com cuidado para que o cinto não se solte e colá-lo com cola quente ao longo de todo o comprimento (6). Consoante o tamanho do individual e do cinto poderá ser necessário fazer furos neste para que possa prender no local adequado. Quando o cinto estiver totalmente colado, simular fechar a clutch para perceber se é necessário ou não (7). Com a ajuda da máquina de costura (ou à mão, caso não tenham) coser as partes laterais da mala.

PS – Sugiro que, durante o processo, se façam acompanhar da voz desta senhora.

{ DIY | Acessórios } Como transformar uma velha t-shirt num colar

Não sei o que se passa com o tempo neste país. Há dias, quando me despedia da minha irmã (que vive actualmente em Londres) enquanto sacudia a chuva do casaco de penas à entrada da estação de King’s Cross dizia-lhe, em jeito de pirraça, que dali por umas horas estaria alegremente de t-shirt, nos trópicos. Mal sabia que ia aterrar numa Lisboa peganhenta e abafada, com os níveis de humidade nos píncaros. Talvez por isso, e porque continuo contrariada com o fim do Verão, ainda não consigo sequer pensar em cores escuras, daquelas que tipicamente habitam nos nossos roupeiros durante o Outono e o Inverno. E mesmo que não fosse este o caso, a verdade é que gosto de contrariar os dias cinzentos com apontamentos de cor. O Verão acabou-se, mas não temos necessariamente de ficar cinzentões da cabeça aos pés, certo? Certo!

E foi com esta ideia em mente que me pus a olhar de soslaio para uma t-shirt velha com dois ou três buraquinhos irritantes, daqueles que tendem a aparecer-me sempre, mais ou menos no mesmo sítio, em t-shirts de algodão (é só a mim que isto acontece?!), que andava por aqui em vias de se transformar em pano para limpar o pó. É um facto que já não a vestia, mas este fim trágico não me convencia. E foi assim que a triste e velha  t-shirt renasceu, transformando-se num alegre colar.

Como os brilhos que marcaram as tendências em jóias/bijuteria durante o Verão parecem ter vindo para ficar, juntei-lhe alguns fios de missangas brilhantes, para um resultado mais actual.

E agora, tratem de ir vasculhar o fundo das gavetas aí de casa e mãos à obra!

Material necessário:

Instruções:

Desmanchar a t-shirt (1) e eliminar todas as costuras (2), excluindo as partes mais curtas da t-shirt (como as mangas). Cortar tiras com aproximadamente 1cm de largura ao longo do lado mais comprido do tecido (3) até que este se acabe (4). Esticar, uma a uma, as tiras de tecido anteriormente cortadas (5). Não é necessário fazer muita força, apenas a suficiente para que as tiras fiquem com um aspecto tubular (6). Excluir as tiras com maiores imperfeições e com tamanho muito superior/inferior à média e seleccionar duas tiras que deverão ser cozidas uma à outra pela extremidade (o objectivo é ter uma tira com cerca do dobro do tamanho das restantes, que servirá para atar o colar ao pescoço). Cortar o fio de missangas por forma a ter vários fios com tamanho semelhante aos de tecido. Pôr de parte duas tiras de tecido para atar as extremidades (7). Juntar os fios de tecido e de missangas ao fio de maior comprimento (que deverá ficar no meio dos outros, com tecido suficiente para fora, para permitir atar ao pescoço) e prender com um elástico para facilitar o processo (8). Usar uma das duas tiras que foram postas de parte para atar os fios de tecido e missangas (9, 10). Fazer o mesmo na outra extremidade (11) e cortar as pontas para que fiquem uniformes, tendo o cuidado de não cortar a tira maior (12, 13). Fazer o mesmo na outra extremidade (14, 15, 16, 17). Acertar o comprimento das tiras que servirão para atar o colar (18).

PS – E para animar ainda mais os dias, o novo álbum destes rapazes que eu tanto estimo já toca insistentemente por aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...